Seguidores

Volte Sempre!

Leia Também em nosso Site

Visitem nosso Grupo e vejam as novas matérias

domingo, 24 de março de 2013

Inuits/Esquimós, espiritualidade e alimentação

 

A tradicional cultura Inuit (esquimós) é semelhante aos encontrados em outras regiões circumpolares: norte da Rússia e os países nórdicos escandinavos.
A vida é precária, há os desafios duplos do frio e da ameaça permanente de fome.
Os inuits acreditavam que todas as coisas tinham uma forma de espírito ou alma (em Inuktitut : anirniq - respiração), assim como os humanos.

A palavra “esquimó” significa “comedor de carne crua”.
Precisam da caça para garantir a sobrevivência, mas como creem que os animais têm alma, o ato de caçar é precedido de rigorosos tabus que incluem cerimônias  diversas.  Nessas cerimônias, são praticados rituais em louvor á deusa dos mares. Sedna ou Takanaluk, com a finalidade de proteção, sucesso nas pescas  e a reprodução e permanência da vida animal - fonte que possibilita a existência dos esquimós.



De acordo com suas crenças, a deusa Sedna  representada por uma sereia, "libera" ou não seus animais marinhos, em função da realização dos rituais específicos. Existem ainda outros deuses guardiões de cada espécie animal dos mares, do ar e da terra, que "permitem" ou não o sucesso da caça.

Existem também os espíritos que controlam o tempo, espíritos que interagem com os seres humanos e outros que habitam o submundo. Simultaneamente, o Criador e os espíritos pode ser percebidos como uma única força espiritual, como na unidade chamado Wakan Tanka, pelo Lakota e Dakota.



O Angakut ou Xamã é o líder espiritual de cada tribo. Ele é capaz de interpretar as causas de uma  doença ou falta de sucesso da caça, podendo determinar a pessoa ou família responsável  por algum preceito ou tabu quebrado e tomar as providências que julgar necessárias.

Existem cerimônias específicas para a caça, a pesca, purificação, cura, nascimento, morte, casamento, graças.
Nas cerimônia de caça, os rituais devem ser cumpridos antes e após a caçada, seja qual for o resultado da mesma. No caso de sucesso do caçador com o consequente abate do animal, deve ser feito um ritual de apaziguamento de sua alma.


Hoje, os dois principais grupos de esquimós são os Inuit do norte do Alasca, Canadá e Groenlândia, e da Central de Yupik Alaska. O Yupik compreende falantes de quatro diferentes línguas Yupik originou-se do Alasca ocidental, no Centro-Sul do Alasca ao longo do Golfo do Alasca costa, eo extremo oriente russo

A religiosidade do povo indígena esquimó está diretamente ligada com sua possibilidade de alimentação, como num ditado Inuit famoso:

"O grande perigo de nossa existência repousa no fato de que nossa dieta consiste inteiramente de almas". 
Essas almas são as dos animais caçados usados em sua alimentação, vestuário e até iluminação, feita com lamparinas alimentadas por óleos retirados dos animais.


Escrito por Claudia Baibich


Créditos imagens
http://www.asingularcreation.com/Gallery/displayimage.php?pid=17851
http://crushevil.co.uk/blog/?p=59

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Somente serão aceitos comentários de membros do Grupo Boiadeiro Rei, devidamente registrados e cadastrados.

Obrigado!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

GRUPO DE ESTUDOS

O único site que reúne a espiritualidade universal

Grupo de Estudos Boiadeiro rei visa apanhar no universo da espiritualidade temas sobre as variantes religiosas universais, prós e contras, formam uma coleta diversificada sobre a busca humana do desconhecido, da paranormalidade ao longo da existência terrestre. A proposta do Grupo de Estudos visa o esclarecimento, enriquecimento individual e o aumento do conhecimento intelectual.

-------------------------------------------------------------------------

Organização sem fins lucrativos

Email: contato@grupoboiadeirorei.com.br

fernandodeogum@grupoboiadeirorei.com.br

www.grupoboiadeirorei.com.br
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...